Liderança Democrática: Características, Vantagens e Desvantagens

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook

O estilo de liderança democrática é baseado no respeito mútuo. Muitas vezes é combinado com liderança participativa porque requer colaboração entre os líderes e as pessoas que eles orientam.

Este modelo de liderança atribui responsabilidade significativa aos líderes e seus colaboradores. Isso vale para todas as organizações, de empresas privadas e agências governamentais a instituições educacionais e entidades sem fins lucrativos.

Uma das definições de liderança democrática diz ser “qualquer arranjo de compartilhamento de poder no qual a influência no local de trabalho é compartilhada entre indivíduos que são de outra maneira hierárquicos e desiguais”.

Alguns autores advertem que os líderes devem ter cuidado ao usar o estilo democrático, porque pode levar a resultados contrários. Se as pessoas sentem que sua contribuição está sendo ignorada, o estilo democrático pode realmente levar a uma menor satisfação e produtividade dos colaboradores.

A chave para permitir que os trabalhadores participem da tomada de decisões é construir equipes maduras com pessoas experientes e cooperativas.

Equipes democráticas não são apenas capazes de tomar boas decisões, mas também apoiam os objetivos de seus grupos, mesmo quando suas próprias sugestões não são adotadas.

História da Liderança Democrática

O estilo de liderança democrática envolve sempre a tomada de decisão participativa. Ele permite que os colaboradores se envolvam no gerenciamento das organizações.

A liderança democrática tornou-se popular nas últimas décadas. Data das décadas de 1930 e 40. Foi quando o notável pesquisador comportamental Kurt Lewin conduziu estudos que ajudaram a identificar o valor do estilo de liderança democrática nas organizações.

Em um de seus livros, ele cita a liderança democrática, o laissez-faire e o autocrático como os três principais estilos de liderança. Com base em entrevistas com líderes empresariais e colaboradores, Lewin concluiu que o estilo de liderança democrática era o mais popular entre os subordinados.

Os líderes democráticos bem-sucedidos diferem dos líderes autocráticos e laissez-faire de duas maneiras importantes:

  • Ao contrário dos autocratas, os líderes democráticos esperam que as pessoas que se reportam a eles tenham uma experiência profunda e exibam autoconfiança.
  • Ao contrário do estilo laissez-faire, que delega autoridade a especialistas, os líderes democráticos estão envolvidos no processo de tomada de decisão.

 

Liderança Democrática nos Negócios

As organizações com ou sem fins lucrativos possuem vários especialistas em seu sua força de trabalho, por isso são bem adaptadas ao processo de liderança democrática. Seja um CEO ou um gerente de projeto, os líderes democráticos podem ser eficazes nos negócios se estiverem cercados por equipes experientes.

O estilo democrático funciona melhor com especialistas que conhecem seus trabalhos e realizam suas responsabilidades sob supervisão mínima. Isso é verdade para:

  • Divisões de desenvolvimento biotecnológico;
  • Construção civil;
  • Universidades;
  • Empresas de tecnologia da informação.

 

No entanto, em empresas privadas e agências governamentais com procedimentos rigorosos ou uma alta rotatividade de colaboradores, o estilo de liderança autocrático é muitas vezes mais apropriado. Por exemplo:

  • Indústria farmacêutica

As empresas farmacêuticas têm formado químicos que trabalham bem em equipes colaborativas em projetos de desenvolvimento. Essas empresas também exigem líderes autocráticos que supervisionam subordinados em operações automatizadas de linha de montagem.

Elas exigem procedimentos e tolerâncias restritas que não se prestam a um estilo de liderança democrática.

  • Hospitais e laboratórios

Hospitais e centros de testes de saúde exigem uma mistura de estilos de liderança. A administração do hospital, de departamentos de pessoal e contabilidade à manutenção de instalações e faturamento, exige liderança autocrática para garantir consistência e responsabilidade.

Simultaneamente, os médicos trabalham colaborativamente sob líderes democráticos. Enfermeiros empregam estilos de liderança democrática e autocrática para realizar funções de equipe e responsabilidades individuais.

  • Empresas de alta tecnologia

O setor de tecnologia oferece inúmeros exemplos de empresas bem adaptadas ao estilo de liderança democrática. Muitas são startups com equipes de engenharia e desenvolvimento de software que trabalham colaborativamente sob líderes democráticos.

Em casos de sucesso, essas empresas evoluem de startups laissez-faire para empresas lideradas por democratas e depois para empresas maduras autocráticas.

Requisitos do Estilo de Liderança Democrática

A liderança democrática tem muitos nomes. Eles incluem:

  • Liderança Participativa;
  • Liderança compartilhada;
  • Gestão open-book;
  • Tomada de decisão participativa;
  • Estilo de gestão democrática;

 

O estilo de liderança democrática tem algumas semelhanças com a liderança do laissez-faire, mas também há diferenças significativas.

Líderes de laissez-faire permitem aos subordinados decidir como completar suas tarefas e projetos, mas não permitem tomar decisões na organização.

A liderança participativa não apenas aceita comentários, ideias e sugestões de subordinados, mas também incentiva sua contribuição em decisões e estratégias.

Ambos os estilos dependem do líder ter colaboradores qualificados, instruídos e experientes. Usar o estilo de liderança democrática com equipes inexperientes pode causar muitos problemas, a menos que os trabalhadores tenham uma intuição extraordinária sobre o que precisa ser feito.

Ainda assim, a maioria dos líderes democráticos ao longo da história tiveram sucesso, porque encorajaram seus colaboradores a se envolverem nas discussões sobre as decisões.

Líderes Democratas São Altamente Racionais

O conhecido psicólogo organizacional Bernard M. Bass estudou os três grandes estilos de liderança de Lewin: laissez-faire, autocrático e democrático. Ele apontou que os líderes de sucesso exibem muitas características de diferentes estilos de liderança.

Bass, observou que os líderes democráticos são factuais e racionais em sua abordagem à solução de problemas e na avaliação do desempenho dos colaboradores.

Ele também observou que os líderes democráticos não enfatizavam a distância social, enquanto os líderes autocráticos exibiam sua maior estatura social entre os subordinados.

A posição social é uma das várias distinções-chave entre líderes autocráticos e democráticos. Embora ambos os estilos possam ser eficazes, os líderes autocráticos são autoritários porque supervisionam com frequência subordinados inexperientes.

Outra razão é que são encarregados de treinar pessoas experientes para realizar novas tarefas rapidamente, como aprender um programa de software inovador ou adotar um processo atualizado de controle de qualidade.

Em comparação, os líderes democráticos são:

  • Tipos igualitários que se sentem confortáveis ​​em fazer junto;
  • Pessoas orientados para a equipe que veem colaboradores experientes como colegas;
  • Construtores de consenso que gostam de mediar desacordos;
  • Exploradores flexíveis que compartilham a tomada de decisões com a equipe

 

Características dos Líderes Democráticos

Os líderes democráticos compartilham traços comuns com líderes laissez-faire, como delegar. A principal distinção é o envolvimento deles no processo de tomada de decisão.

Os líderes democratas simplesmente não contratam especialistas para administrar divisões ou projetos e depois esperam pelos resultados. Eles se inserem no processo e se mantêm informados.

Eles geralmente dependem muito de dados, mas não são escravos das métricas. Eles equilibram os instintos de líderes de equipe experientes com as realidades do mercado.

Eles são solucionadores de problemas. Se não houver demanda por uma grande ideia, os líderes democráticos frequentemente seguem em frente. Eles assumem riscos, mas sabem quando cortar suas perdas. Líderes democráticos, são:

  • Igualitários;
  • De mente justa;
  • Adaptativos;
  • Acionáveis;
  • De visão;
  • Construtores de consenso.

 

Um dos principais pontos positivos sobre liderança democrática em comparação com outros estilos é que ela funciona bem em toda a organização.

O estilo de liderança autocrático, por comparação, funciona dentro de certos departamentos, mas não necessariamente de cima para baixo. A liderança autoritária pode ser sufocante e desmoralizadora se existir em toda a organização.

O estilo democrático pode existir em todos os níveis em algumas empresas. Esse estilo pode funcionar bem em uma organização focada em crescimento, pesquisa e aquisição de talentos.

Empresas privadas, instituições educacionais e organizações sem fins lucrativos em modo de expansão são bem adaptadas ao estilo de liderança democrática, porque incentiva a colaboração. Esse modelo de liderança recompensa o sucesso e promove um ambiente leve.

Pessoas inteligentes e talentosas adoram ambientes leves. Cabe aos líderes democráticos recrutá-las, incentivá-las e monitorar seu progresso apenas o suficiente para garantir a produtividade.

Se há uma ressalva no estilo de liderança democrática, é o seguinte: muita construção de consenso pode levar à estagnação. No final do dia, alguém tem que assumir a responsabilidade pelas decisões.

Os melhores estão preparados. Eles não apenas confiam em suas equipes, mas também se mantêm informados sobre o progresso do fluxo de trabalho regularmente.

Vantagens e Desvantagens da Liderança Democrática

Em teoria, as vantagens da liderança democrática são óbvias para os colaboradores. A maioria das pessoas prefere trabalhar dentro de uma estrutura de liderança que encoraje discussões ponderadas e recompense processos colaborativos.

Na realidade, nem todas as organizações se prestam ao estilo de liderança democrática.

Executivos, conselheiros, administradores e investidores têm expectativas centradas na produtividade. Para eles, o estilo de liderança democrática pode parecer inadequado.

Em algumas empresas e organizações, onde os processos internos são altamente focados, estritamente controlados e muitas vezes aperfeiçoados, outros estilos de liderança, como o autocrático, são mais adequados.

Cabe aos líderes determinar o melhor estilo para grupos de trabalho em suas empresas e instituições. Aqui estão algumas considerações:

Prós da liderança democrática

  • Os colaboradores aumentam a satisfação no trabalho e a sensação de poder;
  • Relacionamentos são construídos sobre confiança mútua entre trabalho e gestão;
  • O absenteísmo é menor entre os trabalhadores com maior comprometimento em relação ao desempenho;
  • A produtividade aumenta como resultado de uma força de trabalho centrada em soluções;
  • Criatividade e inovação aumentam entre os colaboradores através da participação em equipe.

 

Contras da liderança democrática

  • Os líderes podem se tornar excessivamente dependentes da experiência dos subordinados;
  • A colaboração pode consumir um tempo valioso ao obter informações de pessoas que não estão de acordo;
  • Decisões rápidas e incisivas podem ser difíceis ou mesmo impossíveis, resultando em prazos perdidos;
  • Confiar no consenso de pessoas mal informadas ou sem dados precisos pode ser dispendioso;
  • Os líderes podem se sobrecarregar com o desafio de supervisionar especialistas em equipes colaborativas.

 

Melhores Práticas da Liderança Democrática

Líderes democráticos estimulam a produtividade, o trabalho em equipe, a colaboração e o fluxo criativo de ideias. As empresas podem ter certeza de que estão descobrindo os problemas mais prementes e as soluções, já que colaboradores de vários departamentos são convidados a participar da tomada de decisões.

Líderes democratas têm que ter certeza de assumir o controle quando necessário e cuidadosamente rejeitar ideias que não fazem sentido para a organização, mas os benefícios de um maior engajamento e contribuição de qualidade fazem esse método valer à pena.

Conheça algumas das melhores práticas do estilo de liderança democrática

Manter um registro de todas as ideias sugeridas

Como os líderes democráticos não podem utilizar todas as abordagens, eles se beneficiariam de acompanhar as ideias durante todo o processo de tomada de decisão. Embora algo possa não funcionar hoje, pode ser benéfico no futuro.

Existem ferramentas tecnológicas que auxiliam na coleta de ideias, atualizações de status, sugestões e feedback.

Criar um processo de tomada de decisão simplificado

Ninguém fica empolgado com a perspectiva de um longo e prolongado processo de tomada de decisões. Os colaboradores podem precisar de feedback mais cedo do que tarde, e deve haver questões específicas que não precisem para passar por uma equipe de tomada de decisão.

Se houver um problema simples ou um problema comum, eles devem ser categorizados de forma diferente, para que as decisões possam ser muito mais rápidas.

Envolver as pessoas certas

Se houver um problema de TI, as pessoas com experiência em questões de tecnologia devem estar envolvidas na solução. Alguns problemas exigem que aqueles que possuem maior treinamento e conhecimento na situação tenham mais participação.

Transforme a rejeição em outra oportunidade

O líder democrático terá que rejeitar muitas ideias. Eles devem se tornar hábeis em comunicar isso com respeito e cuidado. Eles devem informar aos colaboradores por que sua abordagem não foi utilizada e como ela poderia ser usada no futuro, se aplicável.

Caso Apple

A Apple foi uma empresa de sucesso de 1976 a 1985, antes de quase falir em meados dos anos 90. Então, tornou-se enormemente bem-sucedida novamente, precisamente porque vacilou.

Em outras palavras, a Apple teve uma visão. A Apple perdeu sua visão. A Apple recuperou sua visão.

Isso é raro!

Em meados dos anos 90, a Gateway, a Microsoft, a Sun Microsystems e outras empresas supostamente se concentraram na Apple como alvo de aquisição. Anos depois, muitas dessas marcas desapareceram. No entanto, a Apple sobreviveu.

A Apple sobreviveu porque Steve Jobs aprendeu a se adaptar. Ele se tornou um líder democrático. Jobs começou como um líder carismático / laissez-faire, e a Apple disparou. Então ele se tornou um líder autocrático, e o conselho de diretores da Apple solicitou sua renúncia.

Quando retornou à Apple mais de 10 anos depois, Jobs combinou vários estilos de liderança e acrescentou democracia e participação ao seu repertório.

Ele contratou outros líderes experientes e confiou neles. Jobs encorajou seu principal designer e orientou seu especialista em manufatura e depois deixou que eles tomassem as decisões importantes.

É por isso que a Apple sobreviveu.

Não vá embora! Temos muito mais artigos como este.

O que podemos fazer
para melhorar sua gestão?

Clique no botão abaixo que teremos o prazer em ajudá-lo.

Contato

    RJ: (21) 3005.4074

    DF: (61) 2626.2705

    BA: (71) 2626.1205

    MG: (31) 2626.9127

    PR: (41) 2626.1267

    RS: (51) 2626.3109

Qual Solução você gostaria?