O que é ESG e quais seus benefícios para a empresa?

Você já ouviu fala em ESG? Pode até ser que não, mas você já percebeu que as empresas têm trabalhado muito para melhorar a sua imagem junto aos consumidores, não é mesmo?

Uma parte significativa disso é desenvolver declarações, ações e planos claros para minimizar ou erradicar danos a grupos marginalizados e ao meio ambiente.

Todas essas ações, políticas e planos fazem parte da estrutura ESG – Environmental, Social and Governance, que pode ser traduzida como “Ambiental, Social e Governança”.

O ESG tornou-se popular desde 2005, quando as Nações Unidas tomaram a iniciativa de criá-lo.

As políticas, práticas e compromissos corporativos de ESG capturaram o interesse do consumidor e do mundo empresarial.

Os compradores não estão mais procurando contratar o fornecedor mais barato, mas agora procuram o fornecedor que causa menos danos, tem a posição mais clara sobre justiça social e antidiscriminação, e que se comprometa a continuar melhorando seus esforços para preservar e cuidar do meio ambiente e da sociedade.

As organizações que apresentam os melhores resultados econômicos e são capazes de atrair a mídia, investidores, clientes e parceiros também são aquelas que executam e vivenciam práticas e políticas ESG.

» Sistema Online de Recrutamento e Seleção
Recrute de forma Assertiva com Análises Comportamentais e Diminua o Turnover com a Gestão de Talentos!

Com o RHbot você encontra o talento ideal para cada vaga, criando um processo seletivo mais ágil e assertivo. Automatizando processos você elimina erros e economiza dinheiro!

Cadastre-se no link abaixo, experimente nosso sistema online de forma gratuita e transforme os resultados do seu RH.

Mas qual o significado de ESG?

ESG – Environmental, Social and Governance refere-se aos três fatores-chave que são levados em conta ao medir a sustentabilidade e o impacto ético de um investimento, em um negócio ou empresa.

A maioria dos investidores socialmente responsáveis examina as empresas usando critérios ESG para avaliar investimentos.

É um termo genérico utilizado no mercado de capitais e comumente utilizado pelos investidores para avaliar o comportamento das empresas, bem como determinar seu desempenho financeiro futuro.

Os fatores socioambientais e de governança são um subconjunto de indicadores de desempenho não financeiros que incluem questões éticas, sustentáveis e governamentais corporativas.

Por exemplo, verificar se a empresa utiliza sistemas implementados para garantir a responsabilidade e gerenciar a emissão de carbono da corporação.

Critérios ESG

Os critérios ambientais, sociais e de governança são um conjunto de padrões para as operações de uma empresa, que investidores socialmente conscientes usam ao selecionar investimentos em potencial.

Os critérios sociais examinam como ela gerencia as relações com funcionários, fornecedores, clientes e as comunidades onde atua.

A governança lida com a liderança de uma empresa, remuneração dos executivos, auditorias, controles internos e direitos dos acionistas.

O número de fundos de investimento que incorporam fatores ESG vem crescendo rapidamente desde o início desta década e espera-se que continue aumentando significativamente na próxima.

Os investidores, principalmente as gerações mais jovens têm demonstrado, nos últimos anos, interesse em colocar seu dinheiro onde estão os seus valores.

Para avaliar uma empresa com base em critérios ESG, os investidores analisam uma ampla gama de comportamentos.

Como podemos definir ESG nas empresas?

Cada uma das letras reflete uma série de práticas que as organizações precisam implementar.

Todos os três juntos devem ser vistos como compromissos sistematicamente incluídos na tomada de decisões, vinculados aos negócios da empresa e sua relação com o mundo ao seu redor.

Para cada letra, há alguns temas fundamentais. Vamos explorar cada um deles.

E – Ambiental

Para o “E”, as empresas realizam ações no sentido de diminuir seu impacto na natureza, seja reduzindo o consumo de água em suas instalações ou alterando a fórmula de um produto, evitando a poluição das águas subterrâneas ao descartá-lo, por exemplo.

Entre as macroquestões que preocupam as empresas, podemos encontrar:

  • Aquecimento global e emissões de carbono;
  • Poluição do ar e da água;
  • Desmatamento e exploração madeireira;
  • Energia renovável;
  • Gestão de resíduos;
  • Escassez de recursos naturais;
  • Biodiversidade.

 

S – Social

Aqui, falamos de todas as pessoas com as quais a empresa se relaciona ou impacta, seja com seus produtos ou onde está localizada.

Dentre as principais questões sociais abordadas pelas empresas, hoje temos:

  • Diversidade corporativa;
  • Dados e privacidade;
  • Ambientes de trabalho seguros e inclusivos;
  • Respeito aos direitos dos trabalhadores;
  • Ações positivas.

 

G – Governança

Quanto à letra G, são discutidas as práticas de gestão de uma empresa, suas políticas que favorecem as duas letras anteriores e, assim, permitem que ela atinja o seu melhor.

Entre os temas mais importantes, temos:

  • Políticas de ética e conduta;
  • Gestão de recursos;
  • Economia circular;
  • Relacionamento com órgãos públicos;
  • Eficiência operacional;
  • Conselho ESG;
  • Linha direta de denúncias;
  • Estruturação de grupos de ação e afinidade.

 

Por que as empresas devem se preocupar com ESG?

Em primeiro lugar, as empresas devem se preocupar com ESG por uma questão de responsabilidade social e ambiental.

Os consumidores de hoje têm muito mais informações sobre o que estão buscando e escolhem marcas que tenham práticas responsáveis.

Além disso, os investimentos corporativos também são orientados por ESG.

Atualmente, considerações éticas e alinhamento com valores constituem motivações comuns de muitos investidores ESG, mas o campo se expandiu para considerar também a materialidade financeira.

Ou seja, mesmo quando se trata de buscar financiamento para expandir, as empresas precisam se preocupar com seu impacto no mundo.

Isso vai muito além de ter um “Departamento ESG” em sua empresa, uma vez que essas práticas devem fazer parte do seu negócio como um todo.

Diversidade e inclusão, que é um dos pontos ESG, por exemplo, tem a capacidade de aumentar a criatividade em sua organização.

Essa prática pode impactar positivamente nos resultados financeiros, além de tornar os ambientes mais agradáveis, melhorar a retenção de funcionários e o senso de propósito.

Não é um trabalho de uma pessoa, mas algo que toda a sua empresa deve fazer diariamente.

De acordo com a pesquisa da McKinsey, o ESG é um impulsionador do fluxo de caixa das empresas de 5 maneiras específicas:

  • Facilitando o crescimento de primeira linha;
  • Reduzindo os custos;
  • Minimizando intervenções regulatórias e legais;
  • Aumentando a produtividade dos funcionários;
  • Otimizando investimentos e despesas de capital.

 

Cada um desses tópicos pode ser aplicado de forma diferente dependendo do seu setor, mas deve ser considerado, quando se trata de qualquer estratégia ESG.

Como um todo, ESG é um esboço de práticas e, quando trazido à tona, coloca uma empresa à frente de seus concorrentes, com uma visão clara de como construir o futuro.

E isso, hoje, é um indicador importante para os investidores que querem ter certeza de que receberão sua parte.

Como desenvolver uma estratégia ESG?

Visando o desenvolvimento de práticas e políticas ESG, as organizações precisam:

  • Compreender a natureza do seu negócio e o impacto que tem no mundo, seja ele negativo, positivo ou neutro;
  • Olhar para dentro e ter uma visão clara do cenário de diversidade da empresa;
  • Envolver todo o elenco executivo na criação e execução de estratégias ESG;
  • Ter metas e objetivos claros;
  • Definir uma comissão multidisciplinar para iniciar os trabalhos.

 

Atualmente, algumas empresas já despertaram para a importância de ter um impacto positivo e o fazem por meio de seus modelos de negócios.

Essas empresas são chamadas de negócios sociais. Elas podem ser bancos de concessão de crédito fácil para pessoas de baixa renda, reflorestamentos, entre outras iniciativas.

Há também casos de empresas que impactam negativamente o mundo, como indústrias de mineração ou aquelas que utilizam muita água potável para fabricar seus produtos, por exemplo.

O ideal nesses casos é criar práticas que neutralizem o impacto negativo.

Um exemplo disso seria investir em reflorestamento, não como “core business”, mas como forma de compensar as emissões de carbono de outras atividades.

Outro exemplo é investir em soluções que reduzam o desperdício de água, com o objetivo de investir em soluções para os desafios da cadeia de suprimentos em gestão hídrica, economia circular, agricultura sustentável e ação climática.

Após identificar como sua organização impacta a sociedade, você deve envolver todo o nível executivo, deixando claro para eles o que é ESG, pois adotando estratégias nessa área impacta diretamente todo o planejamento estratégico da empresa.

Ao buscar orientação sobre essas ações, as empresas podem assinar o Pacto Global da ONU, comprometendo-se assim com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS.

Os ODS são colocados em várias áreas, e as empresas podem priorizar quais objetivos podem ser melhor atendidos com base em seu desempenho.

Você também pode usar uma ferramenta on-line gratuita que ajuda sua empresa a se orientar nesse processo.

Por fim, ao se preparar para iniciar suas estratégias ESG, as empresas podem montar um Comitê sobre o tema, com pessoas de diversas áreas, cuja missão será pensar em ações efetivas, estimulando toda a organização a integrar as práticas na sua cultura.

A partir do momento em que a empresa percebe a importância do tema, é apenas uma questão de tempo até que ela mude para outras percepções.

Por exemplo, a empresa percebeu uma lacuna do gênero feminino na área de tecnologia, chamando a atenção também para outros grupos, como pessoas negras.

Esse olhar crítico para dentro, longe de ser tratado com culpa, passa pela responsabilidade e pela transformação.

Como as práticas ESG beneficiam as empresas

As questões ambientais, sociais e de governança devem ser uma das principais preocupações da administração e dos conselhos corporativos.

Houve um tempo em que uma posição pública sobre questões ESG era apenas uma tática de relações públicas.

No entanto, no atual clima de negócios em rápida mudança, a atenção às questões ESG está se tornando fundamental para o sucesso competitivo de longo prazo.

Os principais investidores institucionais reconhecem isso e estão deixando claro que esperam que as empresas adotem uma abordagem proativa em relação às políticas e mensagens ESG.

Um programa ESG robusto pode abrir o acesso a grandes pools de capital, construir uma marca corporativa mais forte e promover o crescimento sustentável de longo prazo, beneficiando empresas e investidores.

Veja como:

Fortes programas ESG podem aumentar a liquidez das ações

Investidores individuais e institucionais estão investindo enormes pools de capital em corporações que governam e operam proativamente de maneira ética e sustentável.

Empresas de pesquisa e consultoria de investimentos como Sustainalytics e MSCI desenvolveram índices que medem e classificam empresas com base em critérios ESG em relação a seus pares do setor.

Os fundos de investimento e ETFs que referenciam esses índices estão levantando trilhões de dólares para serem aplicados em empresas que executam políticas ESG sólidas.

Estes são acionistas orientados a longo prazo que podem potencialmente alimentar a demanda por suas ações.

Muitas empresas de investimento também estão incorporando avaliações ESG em sua análise de risco de portfólio, o que é um indicador revelador de que o capital continuará a fluir para empresas com fortes programas e práticas ESG.

As iniciativas ESG podem liberar valor competitivo

As empresas que reconhecem a importância de se adaptar às mudanças nas condições socioeconômicas e ambientais são mais capazes de identificar oportunidades estratégicas e enfrentar desafios competitivos.

Políticas ESG proativas e integradas podem ampliar o fosso competitivo de uma empresa em relação a outros players do setor.

A Starbucks aprendeu isso enquanto tentava expandir sua participação de mercado na China. Eles tropeçaram na resposta quando ofereceram assistência médica aos pais de seus funcionários.

Depois que fizeram isso, o crescimento das vendas disparou e agora a Starbucks tem 2.000 lojas em um dos mercados de crescimento mais rápido do mundo.

Executivos que adotam medidas para melhorar as condições de trabalho, aumentar a diversidade de suas equipes, retribuir às suas comunidades e se posicionar sobre políticas ambientais sustentáveis, também fortalecem a marca da empresa.

À medida que os millennials se tornam funcionários, consumidores e investidores, eles observam os bons atores corporativos e os recompensam com lealdade.

Uma postura proativa sobre questões ESG pode manter os ativistas afastados.

Os ativistas têm usado as fraquezas da governança como uma ferramenta em campanhas contra empresas por anos, mas cada vez mais eles estão mirando em equipes de gestão e conselhos que não assumem uma postura proativa sobre possíveis questões ambientais ou sociais.

As empresas que lidam proativamente com questões ESG podem definir o padrão para todo o setor e, ao mesmo tempo, ajudar a se imunizar contra a intervenção de ativistas.

Muitos investidores estão interessados em colaborar com empresas para desenvolver políticas ESG que liberem o valor de longo prazo.

As empresas que adotam valores ESG tendem a atrair e reter os melhores talentos

Os millennials se preocupam profundamente que as empresas para as quais trabalham e os negócios que apoiam, adotem valores alinhados aos seus, e a responsabilidade ambiental e social é muito importante para eles.

Os funcionários que são apaixonados pela organização, que são leais e que se sentem valorizados, impulsionam uma boa vontade que fortalece a marca da empresa e melhora a produtividade geral da força de trabalho.

Impacto ambiental

Anunciar que sua empresa será neutra em emissão de carbono até uma determinada data pode parecer bom, mas é um empreendimento enorme que envolve muitas partes móveis e requer grande investimento.

Ao pegar as metas ESG e traduzi-las em planos acionáveis em toda a empresa, você pode fazer um progresso contínuo que é avaliável e atingível.

Seja medindo as emissões de carbono, adquirindo materiais produzidos de forma ética ou gerenciando o uso de água em um processo de fabricação, os dados de uma ampla gama de métricas são capturados, agregados e considerados nos relatórios ESG.

Com a plataforma e o planejamento certos, as empresas podem moldar a resposta à crise climática e construir experiência e reputação de boa administração.

Construindo uma base de clientes fiéis

O impacto do consumidor ecologicamente correto não pode ser esquecido. Os clientes cada vez mais escolhem marcas com base em prioridades e reputação ESG.

Um estudo da Accenture com mais de 25.000 consumidores em 22 países mostra que a pandemia provocou um realinhamento de prioridades.

Os compradores estão abandonando marcas que não se alinham com seus valores e estão dispostos a pagar mais por produtos de empresas que o fazem.

Contar histórias sobre os esforços ESG pode atrair novos clientes e ajudar as empresas a construir uma forte fidelidade à marca, mas autenticidade e transparência são fundamentais.

As organizações que se envolvem em “greenwashing” – enganando o público sobre um produto ou prática ecologicamente correta – podem pagar um alto preço em danos à reputação.

» Sistema Online de Recrutamento e Seleção
Recrute de forma Assertiva com Análises Comportamentais e Diminua o Turnover com a Gestão de Talentos!

Com o RHbot você encontra o talento ideal para cada vaga, criando um processo seletivo mais ágil e assertivo. Automatizando processos você elimina erros e economiza dinheiro!

Cadastre-se no link abaixo, experimente nosso sistema online de forma gratuita e transforme os resultados do seu RH.

O ESG é para empresas de todos os tamanhos?

Como o ESG abrange uma ampla gama de considerações, as políticas variam de empresa para empresa.

As pequenas empresas podem sentir que não possuem os recursos necessários para medir e implementar iniciativas ESG.

Ou elas podem sentir que o esforço utilizado para as iniciativas ESG supera o potencial impacto positivo.

Na realidade, implementar uma política ESG, mesmo em pequena escala, pode beneficiar uma empresa de qualquer tamanho.

É possível começar de forma simples, implementando práticas como fornecer embalagens ecológicas, recibos digitais, gerenciamento de resíduos e redução na emissão de carbono.

À medida que os investidores procuram investir mais em organizações com altos padrões ESG, as pequenas e médias empresas com foco ESG estarão em melhor posição para atrair interesse.

Ter altos padrões ESG reduz o perfil de risco das PMEs, aumentando seu crescimento de receita e reduzindo os desafios operacionais e regulatórios.

Planilha Gratuita

Controle o Desempenho dos Colaboradores de Forma Prática, Fácil e Eficiente!

Insira seu MELHOR E-MAIL abaixo e receba a planilha agora mesmo, de forma gratuita.