Quanto Custa Um Funcionário? Entenda o que incide sobre o salário

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on facebook
Se você está pensando em contratar um novo colaborador para sua empresa saiba que o custo de um funcionário vai além do valor do salário mensal.

Na verdade de acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Confederação Nacional das Indústrias (CNI) o salário equivale a 32% do custo total que a empresa tem com o funcionário.

O restante é a soma dos impostos, atribuições e benefícios que a companhia proporciona a seu subordinado. No total o empregador pode gastar até duas vezes o valor do salário.

Neste artigo você vai entender quanto custa um funcionário e dicas para economizar com a mão de obra.

» Sistema Online de Recrutamento e Seleção
Recrute de forma Assertiva com Análises Comportamentais e Diminua o Turnover com a Gestão de Talentos!

Com o RHbot você encontra o talento ideal para cada vaga, criando um processo seletivo mais ágil e assertivo. Automatizando processos você elimina erros e economiza dinheiro!

Cadastre-se no link abaixo, experimente nosso sistema online de forma gratuita e transforme os resultados do seu RH.

Quanto custa um funcionário?

Para fazer a conta de quanto custa um funcionário você deve considerar os gastos diretos da contratação, ou seja, aqueles que são pagos diretamente para o colaborador como salário e benefícios e os gastos indiretos que são os encargos sociais exigidos pela lei trabalhista.

Vamos supor que o salário do funcionário que você queira contratar seja de R$ 1.000,00. Agora vamos conferir os gastos a mais além do salário:

Benefícios

Um dos benefícios é o vale-transporte cuja passagem custa em média R$ 4,50. Se o funcionário precisar de uma passagem para ir e uma para voltar, contando 22 dias de trabalho, o gasto total mensal seria de R$ 198,00.

A divisão dos gastos é 6% do salário do funcionário e o restante da empresa. Então seriam R$60 descontados da remuneração e os restantes R$ 138,00 pagos pela empresa.

No caso do auxílio-alimentação vamos supor que o ticket diário seja de R$16,44. Se for multiplicado por 22 dias, o valor fica R$ 361,68. O empregador deve pagar 80% desse valor, o que dá R$ 289,34.

Fora esses gastos, dependendo da sua empresa também há outros benefícios como plano de saúde e odontológico, contribuição ao programa de qualificação, seguro de vida, entre outros.

Encargos sociais

Os encargos sociais que a empresa deve pagar vão depender em qual regime tributário ela está registrada, se no Simples Nacional ou no Lucro Real ou Presumido.

O simples Nacional entrou em vigor em 2007, sendo voltado para micro e pequenas empresas.
Através dele essas empresas pagam os impostos através de uma única guia e com alíquotas menores de acordo com o ramo do negócio.

Entre os encargos que a empresa deve pagar nesse caso estão:

  • Férias – 11,11%;
  • 13º salário – 8,33%;
  • FGTS – 8%;
  • FGTS/Provisão de multa para rescisão – 4%;
  • Previdenciário sobre 13º/Férias/DSR – 7,93%.

 

O total é de 39,37% sobre o valor do salário, o que dá o valor de R$393,7.

Por outro lado as empresas que trabalham sob o regime do Lucro Real ou do Lucro Presumido são aquelas que faturam mais, lucrando mais do que R$3,6 milhões ao ano.

Elas pagam os mesmos encargos que as empresas que atuam no Simples Nacional, no entanto há o acréscimo de outros encargos. Entre os gastos que a empresa terá nessa parte estão:

  • Férias – 11,11%;
  • 13º salário – 8,33%;
  • INSS – 20%;
  • Seguro acidente de trabalho (SAT) – 3%;
  • Salário educação – 2,5%;
  • Incra/SENAI/ SESI/SEBRAE – 3,3%;
  • FGTS – 8%;
  • FGTS/Provisão de multa para rescisão – 4%;
  • Previdenciário sobre 13º/Férias/DSR – 7,93%.

 

O total é de 68,18% sobre o valor do salário, o que dá o valor de R$681,80.

Outros custos

Além disso, dependendo da empresa pode haver necessidade de gastos com os uniformes dos funcionários. Supondo que o gasto fosse de R$80 para colaborador, mais um valor para somar.

Também há as licenças como a licença-maternidade ou licença-maternidade ou auxílio-doença ou acidente de trabalho, que somam 1% no custo. Além de poderem ser cobrados 3,5% de encargos nessas cobranças.

É importante que a empresa esteja preparada para enfrentar imprevistos e já separe dinheiro para esses custos, assim poderá se prevenir.

Qual o custo final?

Somando os benefícios que citamos assim como os encargos sociais um funcionário que ganha R$ 1.000,00, pode custar R$ 2.019,04 para uma empresa que atua sob o regime do Simples Nacional e R$ 2.307,14 para uma empresa que atua sob o regime do Lucro Real ou Lucro Presumido.

No entanto o valor pode mudar em caso de acidente, se o funcionário for demitido, se estiver passando por treinamento, entre outros. Os valores mostrados são apenas uma média para que você tenha ideia do quanto custa um funcionário.

Como melhorar os gastos com os funcionários?

Realmente os custos com os funcionários afetam de forma direta os lucros da empresa. Mas existem maneiras de melhorar os gastos com os colaboradores e assim economizar.

Entre essas maneiras estão:

Optar pelo melhor regime tributário

É importante que você escolha o melhor regime tributário para sua empresa, pois caso seja uma empresa pequena e que ainda não tenha lucros muito altos você pode optar pelo Simples Nacional em que há menos encargos cobrados.

Por isso é bom que você procure um contador de confiança e analise se é possível escolher esse regime tributário, assim poderá pagar menos impostos e economizar nos gastos.

Diminua os gastos estratégicos

Você deve separar os gastos que tem com os funcionários entre estratégicos (que ajudam a aumentar a motivação e produtividade) e não estratégicos (que são obrigatórios).

Entre os gastos estratégicos se encontram os benefícios que os funcionários recebem, eles ajudam a motivar os colaboradores, aumentando sua vontade de serem mais produtivos. Já os gastos não estratégicos são os encargos sociais, que são obrigatórios.

A dica é tentar diminuir o máximo possível os gastos não estratégicos. Dessa forma você poderá oferecer maiores benefícios aos funcionários e reduzirá os custos.

Pague comissões

Outra maneira de reduzir os custos é oferecer salários menores e pagar comissões aos funcionários mais produtivos.

Dessa forma estará incentivando seus colaboradores a terem um desempenho melhor na empresa, o que lhe dará mais lucros e ao mesmo tempo diminuirá os custos.

Invista em tecnologia

É importante contar com a ajuda da tecnologia, pois isso pode facilitar muito o trabalho, evitando erros e gastos desnecessários.

Um programa de departamento pessoal te ajudará a executar tarefas de gestão de pessoas, como cálculo da folha de pagamento, administração de benefícios, distribuição online de holerites e gestão das férias dos colaboradores.

Assim sua empresa ficará mais organizada, serão evitados atrasos e gastos extras. O que permitirá que você possa economizar e investir em medidas estratégicas.

Contrate menos funcionários

Há companhias que contratam mais funcionários que o necessário, o que acaba gerando improdutividade e ociosidade. Nada bom para a empresa que paga por funcionários que ficam horas desocupados, assim gerando gastos desnecessários.

Por isso uma dica é analisar qual o número de profissionais necessário para que o trabalho seja bem executado e assim diminuir sua equipe. Apenas contrate mais gente caso seja necessário.

Dessa forma, os funcionários serão mais produtivos e você terá menos gastos.

Calcule o ROI

O ROI eu vem da expressão em inglês “Return over Investment” é o cálculo de retorno sobre algum investimento, isto é, o lucro ou prejuízo que determinado gasto gerou.

Esse cálculo pode ajudar a diminuir os custos e os riscos. Para fazer o cálculo você deve somar os gastos com cada funcionário por ano, mês ou hora e dividir o valor total pelo tempo escolhido para comparar os lucros que foram produzidos nessa época.

Dessa forma você vai poder identificar e analisar o quanto está sendo gasto com cada empregado e assim a empresa pode se manter crescendo.

É importante também manter uma política dos cargos e salários para organizar os custos do funcionário para a empresa. Assim você pode analisar o quanto cada colaborador deve ganhar e identificar os gastos dos setores, podendo saber quando investir ou cortar gastos.

» Processos Seletivos + Rápidos e Eficientes
Recrute de forma Assertiva com Análises Comportamentais e Diminua o Turnover com a Gestão de Talentos!

Com o RHbot você encontra o talento ideal para cada vaga, criando um processo seletivo mais ágil e assertivo. Automatizando processos você elimina erros e economiza dinheiro!

Cadastre-se no link abaixo, experimente nosso sistema online de forma gratuita e transforme os resultados do seu RH.

Melhorar o ROI

Para melhorar o ROI você deve analisar os funcionários e identificar os que são mais produtivos, assim podendo investir neles para que se mantenham na empresa.

Você também deve evitar as horas extras, adicionais noturnos e manter uma política para prevenção de acidentes de trabalho.

É importante também manter a satisfação dos funcionários, ouvindo suas opiniões e dando feedbacks sobre os resultados, o que pode aumentar sua motivação e evitar gastos desnecessários.

Além disso, você deve incentivar os benefícios e direitos dos colaboradores, pois dessa forma eles se mantêm mais motivados e vão ser mais produtivos.

Como você pode ver o custo de um funcionário agrega não apenas o valor do salário, mas também os encargos sociais e os benefícios que a empresa oferece para cada colaborador, além de gastos extras como o uniforme, por exemplo.

Dessa forma o valor final fica mais que o dobro do que o funcionário ganha.

Para que os gastos sejam menores é importante tomar algumas medidas como escolher o regime tributário de acordo com a situação da empresa. Dessa forma possa reduzir os impostos, diminuir os gastos estratégicos, pagar comissões, investir em tecnologia para te ajudar a organizar o departamento pessoal, contratar menos funcionários calcular e melhorar o ROI.

Você também deve manter uma estrutura de orçamento dentro do departamento pessoal e de recursos humanos. Pois dessa forma deixará tudo bem organizado, o que facilitará o acompanhamento e a comparação do que é feito com o que foi planejado.

Assim o RH poderá se empenhar em seguir a estimativa para que o dinheiro gasto seja empregado de forma controlada. Isso é essencial para que a companhia possa lançar os gastos, custos e investimentos que terá com seus funcionários, assim evitando ser pega desprevenida e acabar tendo gastos desnecessários.

Não vá embora! Veja nossos Artigos mais Recentes:

O que podemos fazer
para melhorar sua gestão?

Clique no botão abaixo que teremos o prazer em ajudá-lo.

Contato

    RJ: (21) 3005.4074

    DF: (61) 2626.2705

    BA: (71) 2626.1205

    MG: (31) 2626.9127

    PR: (41) 2626.1267

    RS: (51) 2626.3109

Qual Solução você gostaria?